Bem vindo!

Bem vindo!Esta página está sendo criada para retransmitir as muitas informações que ao longo de anos de pesquisas coletei nesta Mesorregião Campo da Vertentes, do centro-sul mineiro, sobretudo na Microrregião de São João del-Rei, minha terra natal, um polo cultural. A cultura popular será o guia deste blog, que não tem finalidades político-partidárias nem lucrativas. Eventualmente temas da história, ecologia e ferrovias serão abordados. Espero que seu conteúdo possa ser útil como documentário das tradições a quantos queiram beber desta fonte e sirva de homenagem e reconhecimento aos nossos mestres do saber, que com grande esforço conservam seus grupos folclóricos, parte significativa de nosso patrimônio imaterial. No rodapé da página inseri link's muito importantes cuja leitura recomendo como essencial: a SALVAGUARDA DO FOLCLORE (da Unesco) e a CARTA DO FOLCLORE BRASILEIRO (da Comissão Nacional de Folclore). Este dois documentos são relevantes orientadores da folclorística. O material de textos, fotos e áudio-visuais que compõe este blog pertencem ao meu acervo, salvo indicação contrária. Ao utilizá-lo para pesquisas, favor respeitar as fontes autorais.


ULISSES PASSARELLI




terça-feira, 10 de setembro de 2013

O Mal Vizinho: um conto religioso

Jesus e São Pedro andavam pelo mundo num domingo. Passando por um caminho, na beira de um sítio viram um homem arando a terra. Era domingo, dia santo, proibido de trabalhar. O Mestre disse ao santo: 

"_ Simão, vai até o fazendeiro e fala pra ele parar de trabalhar em respeito a este dia santificado, ou farei com que seus bois de arado morram em castigo ao desrespeito."

Simão Pedro foi e o homem lhe expulsou: 

"_ Vai embora com seu Mestre! Larga mão de palhaçada... "

São Pedro voltou a Jesus e lhe contou a má resposta do homem do arado. Cristo deu nova ordem: 

"_ Volta, Pedro, e diz que eu matarei todos os bois que ele tem na invernada se não me obedecer."

Lá se foi o santo e de novo foi desfeiteado, ainda com mais grosseria: 

"_ Pedro!, disse Jesus, vai pela última vez e manda ele parar. Se não parar o arado no domingo, deixarei os bois viverem, mas darei a ele um vizinho horrível, que será para ele um flagelo constante, dia e noite."

Quando São Pedro levou a ordem ao lavrador, imediatamente este gritou com os bois: 

"_ ÔÔÔu-aaah! "

E os bois pararam, no rangido das cangas. Largou tudo, de lavrar as terra. Perder os bois não o assustava. Compraria outros; mas pensou consigo mesmo, que não há nada pior que um mal vizinho... 
Povoado da Trindade, São João del-Rei/MG, 19/10/2009. 


Notas e Créditos

* Informante: José Cândido de Salles (Zé Cristino Boiadeiro), Santa Cruz de Minas/MG, 1998.
** Texto, pesquisa e foto: Ulisses Passarelli

Nenhum comentário:

Postar um comentário